Literatura Infantil: Junho 2014

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Análise da Contação de história

Sem dúvida, pensando na formação do cidadão de amanhã, umas das maiores preocupações dos pais é formar um homem e uma mulher críticos, que tenham capacidade de analisar o que está a sua volta, de avaliar o que está de acordo com os seus princípios e o que não está e de tomar decisões de acordo com suas próprias convicções. Isso nem sempre é fácil perante uma sociedade massificante, onde as informações se cruzam em velocidade vertiginosa e nem sempre com objetivos explícitos.
As ingênuas histórias podem ser um motivo para os pais discutirem com seus filhos. Comportamentos e posicionamento não de forma impositiva, mas sim convidativa ao pensar.
Os pais poderão perceber, encantados que a forma de seus filhos verem os fatos vão amadurecendo a medida que crescem.
As crianças pequenas, ficam encantadas quando a Cinderela se apaixona imediatamente pelo princípe. Mas, as mais velhas poderão ser questionadas se somente o fato de ser bonito rico e poderos é suficiente para alguém se apaixonar.
E será que o Patinho Feio não seria mais feliz continuando feio, porém filho de sua mãe pata e irmã dos patinhos, do que se transformar em um cisne belo, no entanto sozinho?
O que importa é que as histórias vão trazer o contexto no qual os pais, com habilidade poderão fundamentar uma discussão que busque produzir a reflexão e o exercício do senso crítico.


Fonte: Técnicas de Contar Histórias para os pais contarem ao filhos

sexta-feira, 27 de junho de 2014

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Quais os textos, indicados para turminha da Educação Infantil?


É muito importante o primeiro contato da criança com o texto,  deve ser feito oralmente, por meio da voz dos pais e do professor contando-lhe histórias.Quando uma criança ingressa na pré-escola e se dá início á sua alfabetização, ler torna-se um momento de lazer. Ler para desenhar,musicar ,pensar e interpretar. Ler, ver , reler aquele objeto mágico que está á sua frente. E tudo pode nascer dele: fadas lindas e bondosas dançando com as crianças, bruxas más e horrorosas, com quais as crianças podem aprender o quão pode ser pesaroso não praticar o bem. Há vários livros para várias faixas etárias.
Livros cujas folhas podem ser recortadas convidando a criança a participar do texto(postagens atrás trouxe dicas de livros assim , livros que interagem com as crianças), livros sem textos, com quais as crianças aprendem criar e imaginar histórias.
"A Literatura Infantil torna-se desse modo, imprescindível. Os professores dos primeiros anos da escola fundamental devem trabalhar diariamente com a literatura. Esta se constitui em material indispensável, que aflora a criatividade infantil e desperta a veia artística da criança. Nessa faixa etária, os livros de literatura devem ser oferecidos ás crianças, através de uma espécie de caleidoscópio, de sentimentos e emoções que favorecem a proliferação do gosto pela literatura, enquanto forma de lazer e diversão". (Coelho, Nelly Novaes,2000, vol.14)
Fonte:Monografia da pós-graduação (Rute Beserra)
Título:Contar Histórias:Uma Estratégia para o Desenvolvimento do Letramento Literário.

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Editora Callis divulga lançamento dos livros:

















Livro : Trilha na Mata
Cristina Von
Ilustração: Thiago Lopes
Editora: Callis

Livro: Pérola O ano do dragão
Rosana Rios e Gerorgette Silen
Ilustração: Marco Antonio Godoy
Editora: Callis




Livro: Tempo de Beijar
Flávia Reis
Editora: Callis


Livro:O  Livro dos Chás
Renata Bueno
Editora: Callis
www.callis.com.br/

IMAGEM: Foto Arquivo Pessoal

sábado, 21 de junho de 2014

Fotos-Contação de História-Livraria da Vila- Moema

Hoje a tarde eu e o Seni Araújo,contamos histórias na Livraria da Vila em Moema. Uma das histórias contadas : Até as princesas soltam pum de Ilan  Brenman Agradecemos  os pais e crianças, presentes muito obrigada pela presença de todos!
Gravei  as Contações  da Histórias contadas   hoje,logo estarei postando na Literatura.

IMAGEM: FOTO ARQUIVO PESSOAL

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Tudo começou assim...

Literatura Infantil 
Meu nome é Rute Beserra, sou Contadora de Histórias

A contação  de histórias surgiu em minha vida através de uma grande amiga, da faculdade de Pedagogia, Alzira Pelaiz ela contava história como ninguém, apaixonei-me da maneira  que contava , com toques e cuidados ao  apresentar uma história.
Sempre gostei de ler livros de  literatura infanto-juvenil  e todas as histórias que lia recontava as crianças da educação infantil. Na época era professora de educação infantil e cursava  o curso de Pedagogia. Contar  histórias é  uma experiência de interação. Constitui um relacionamento cordial entre a pessoa que conta  e as que ouvem.      
Comecei contar histórias em festinhas de priminhos. Todos da família, diziam que eu levava jeito para coisa. Sou Contadora de Historia formada pelo Senac/SP, sempre estou  reciclando  com cursos de Contação de Histórias e Workshop, para melhor aperfeiçoar meu trabalho.
Apresento meu trabalho através de fantoches, narração oral, música, poesia, declamação,
figurinos, cenários ou utilizo minha própria voz, sem cenário nenhum .Dependendo da história os ouvintes passam a fazer parte do cenário da história. O que interage o contador e ouvinte.
Conto muito histórias  para crianças. Mas também conto para adultos.   
  No ano de 2007 cursava pós-graduação, e o meu professor Enio Moraes Junior(Doutor em Ciências de Comunicação), disse-nos que  para termos  uma nota na disciplina dele, teríamos que montar um blog. Confesso que iniciei meu blog, sem muita pretensão em continuar, tanto que depois que soube minha nota, esqueci dele.De vez enquanto postava alguma coisa sobre contação, algum evento que participava e só. Até que em 2010 fui convidada para ministrar
Workshop  de Contação de História para criança, adolescente e terceira idade- a moça que entrou em contato comigo disse-me que tinha entrado no meu blog e visualizado  meu trabalho com as contações.
De lá pra cá não parei mas, sempre estou em livrarias contando histórias, ministrando palestras de contação e oficinas em escolas, evento pedagógicos, faculdades, ongs,asilos, creches, orfanatos etc... Onde me chamarem e a agenda permitir eu vou.
Tudo isso devo ao professor Ênio, se não fosse por causa da nota, com certeza  não teria essa projeção toda.
Sempre digo que o meu blog é o meu cartão de visita. Sem contar que através dele conheci vários amigos blogueiros(as) queridos, que comunicamos por e-mails ou comentários no blog.
Rute Beserra
Fonte da postagem

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Callis prepara sugestões para a criançada aproveitar o Dia do Imigrante

25 de junho: Dia do Imigrante
  
Livros das autoras Cristina Von e Flávia Reis prometem encantar e ensinar  sobre as diferenças e história do Brasil para os pequenos
         O processo de imigração começou no Brasil com o período colonial, por volta de 1530. Passado algum tempo, no final do século XIX, mais especificamente na década que se seguiu à Abolição da Escravatura, a chegada de imigrantes aumentou e no caso do estado de São Paulo, por exemplo, chegaram mais de 900 mil pessoas.
A partir do século XIX, muitos europeus atravessaram o Atlântico em busca de melhores oportunidades de trabalho, mas durante o século XX, chegaram também imigrantes que fugiam das grandes guerras mundiais. Eles vieram de todas as partes, a citar Portugal, Itália, Alemanha, Japão, Espanha, Polônia, entre tantos outros países.
Esses imigrantes contribuíram significativamente para a formação da cultura brasileira. Suas influências foram desde a indústria, passando pela agricultura, culinária, artes e muitos outros aspectos!
Assim, para aproveitar essa data tão importante, a Callis preparou algumas sugestões de leitura, como é o caso do livro “Keiko do Japão”, da autora Cristina Von, que conta a história de uma garotinha que nasceu no Japão e que veio com sua família para o Brasil.
Além dele, em “Bernardo e a princesa de cristal”, de Flávia Reis, os leitores poderão embarcar em uma emocionante aventura com esse francês recém chegado ao país. Confira, a seguir, mais informações sobre os títulos:

“Bernardo e a princesa de cristal”, de Flávia Reis


Keiko do Japão”, da autora Cristina Von
Para mais informações, favor contatar:
Kelly feltrin



terça-feira, 17 de junho de 2014

Comentário sobre a dignidade do Artista por João Gualberto Salinas



meu amigo
tem uma fala maravilhosa...meus aplausos a ele.

Comentário sobre a dignidade do artista por João Gualberto Salinas!!
"Gostaria que falassem pra um médico, advogado, arquiteto ou engenheiro:
'Venha e trabalhe, não tem dinheiro mas é bom pra divulgar, pra que as pessoas conheçam seu trabalho. Você vai agradecer o espaço e a oportunidade!' Tem gente que acha que a arte não é uma profissão e sim um hobbie. Que todos os artistas são ricos e não precisam pagar serviços, fazer compras pra viver, que por isso somente precisam de divulgação do trabalho. Se vc é um artista ou ama a arte, copie e cole!" João Gualberto Salinas

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Convite- Livraria da Vila-Moema




IMAGEM; ARQUIVO PESSOAL

Loja  Moema 
Av. Moema 493 - Moema |  Telefone:  (11) 5052-3540
sábado, 21 de junho de 2014
ATIVIDADE INFANTIL
CONTAÇÃO DE HISTORIAS
ATE AS PRINCESAS SOLTAM PUM
Autor(a): ILAN BRENMAN
Ilustrador(a): IONIT ZILBERMAN
Com: Rute Beserra
Editora: BRINQUE BOOK
Distribuidora:BRINQUE BOOK
Horário: das 16h às 17h
Local:  SUPERIOR

terça-feira, 10 de junho de 2014

Elos entre Literatura e a Vida


Importante notar que há uma identificação essencial entre as invariantes que estruturam essas narrativas maravilhosas e as exigências básicas que a vida faz a cada um de nós, para que nos realizemos plenamente como indivíduos e seres sociais. As personagens desses contos de fada, contos exemplares, parábolas, etc., nada mais são do que símbolos ou alegorias da grande aventura humana, que cada qual vive a seu modo, ou de acordo com as circunstâncias:
Assim, vejamos:
1-Cada ser humano precisa ter um ideal(ou ideais, desígnios, projetos que se sucedem)para ser alcançado;

2-para tentar alcançá-lo, precisa sair de seu meio familiar(viagem) e enfrentar o meio exterior, o confronto como os demais seres;

3-nessa busca, certamente encontrará obstáculos(opositores) para serem vencidos;

4-nesse esforço para vender os obstáculos, encontrará também auxiliares e (mediadores);

5-finalmente realizará o ideal perseguido (final feliz) e, obviamente, recomeçará a caminhada perseguindo um novo ideal ou projeto.(Processo que só deve terminar com a morte).

Conclusão: a vida é um proceso em contínuo fazer-se . Cada conquista deve corresponder a um fim e a um novo começo. É essa analogia existente entre as invariantes do universo literário e as do universo humano que explica a fascinação que, através dos séculos, essas narrativas fantasiosas continuar a exercer sobre os povos e sobre as crianças, em particular.

Fonte: Nelly Novaes Coelho -1.ed. São Paulo Moderna.2000 Literatura Infantil: teoria, análise, didática-pag.116



sexta-feira, 6 de junho de 2014

Contando História para os bebês-CEI- Vila Clarice

Agradeço as professoras e aos bebês do Berçario I , pelo carinho.
Quem disse que bebês não ouvem histórias?
Lindos!!!
IMAGEM: Foto Arquivo Pessoal

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Sugestão de Leitura: Rapunzel e o Quibungo/ Joãozinho e Maria


RAPUNZEL E O QUIBUNGO
Formato: Livro
Ilustrador: LARA, WALTER
Idioma: PORTUGUÊS





JOÃOZINHO E MARIA

Formato: Livro
Ilustrador: LARA, WALTER
Idioma: PORTUGUÊS

Era uma vez uma linda princesa... Era uma vez um príncipe encantado que vivia num lindo castelo... Assim começa a maioria dos contos de fadas clássicos, que alimentam a fantasia infantil geração após geração. Porém, pelo fato de seus criadores serem europeus, desde as primeiras publicações no Brasil, estabeleceu-se o pressuposto dos personagens brancos. Já nas capas e ilustrações, que constituem o primeiro elemento de aproximação entre a criança e o livro, entrevemos a entrada num universo que privilegia esse segmento étnico e, a partir daí, as próprias escolas que adotam esses livros integram e perpetuam essa preponderância, que afeta diretamente a auto estima das crianças não brancas. Mas... e se Perrault, Andersen e Grimm  tivessem nascido no Brasil? Como seriam os seus contos? É sob essa perspectiva que Ronaldo Simões Coelho e Cristina Agostinho recontam essas histórias, ambientando-as nas diversas regiões do nosso país, transformando personagens que nada têm de brasileiros em seres com nosso rosto e nossa pele, enfrentando monstros e bruxas do nosso imaginário cultural.

Obs; Recomendo a leitura

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Personalidades da música, literatura e da luta por direitos no Brasil fazem aniversário no mês de junho



Pagu e Machado de Assis são alguns dos que nasceram neste mês e têm suas vidas e obras contadas em livros da Callis editora

No mês de junho de 2014, o compositor Schumann, Pagu, o escritor Machado de Assis e Luiz Gama, vãocompletar mais um ano de história. Em homenagem a estas datas tão importantes, a editora Callis preparou indicações especiais voltadas para o público infantojuvenil, que contam curiosidades sobre a vida e a obra dessas grandes personalidades.


Design by Juliana Garcia