Literatura Infantil: Outubro 2009

sábado, 31 de outubro de 2009

Blogagem Coletiva-Kriativa Blog

Barulho no Sotão

Era um casarão abandonado no final da rua, todos que passavam na frente, arrepiava ao imaginar o que, ou quem se escondia lá dentro.

Bola, Tuca, Cabeção eram três amigos que passavam na frente do portão do casarão para irem ao colégio.

-Um dia entro nesse casarão para abrir aquela janelinha lá no alto. disse Tuca,(apontando para uma janela do sotão que ficava perto do telhado.)

_Eu que não sou bobo de entrar ai, disse o Bola suando frio.

Ao olhar para trás, viu a janelinha do sotão aberta,virou para frente, olhou de novo e a janelinha estava fechada, nada comentou aos amigos para não assustá-los.

No outro dia, Tuca resolveu que na sexta-feira a noite, iriam entrar naquela casa para descobrir o mistério, todos falavam que uma velha morava naquele casarão, a criança que batesse na porta entrava e não saia.Tuca queria resolver esse mistério.

No dia combinado, ao irem para o colégio,os amigos observaram que o portão do casarão estava aberto.

Tuca o mais valente, correu para porta do casarão, seguido pelo Bola e cabeção.

_Olá, tem alguém em casa? perguntou Tuca

___Uhhhhh!Tem alguém aiiiiiiii! disse Bola tremendo.

Ouviram um barulho no alto da escada. Todos se voltaram para a escada. Tuca disse:_Vamos subir pessoal!

_Vão vocês eu fico por aqui, o combinado era entrar no casarão a noite e não de dia! -Disse Bola correndo para porta.

Tuca e Cabeção , subiram as escadas devagar e o barulho cada vez mais perto e forte.

O barulho vinha do sotão, ao chegarem na porta, a porta se abriu sozinha e.........

_AIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII..................

O que viram?

Não sabemos, os garotos não voltaram para nos contar

E o Bola?

Esse saiu correndo para fora , nunca mais passou perto do casarão, quando perguntam a ele o que acha que aconteceu com os amigos ele diz:

_Prefiro não comentar!!!!!!

kkkkkkkkkkkkkkkk(dá uma risada sinistra!!!)

Autora:Rute Beserra

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Fantoches

Além de ter várias maneiras de contar histórias, seja por declamação, mimíca, música, ou até mesmo usando minha própria voz, não existindo uma regra. Os bonecos de fantoches são meus companheiros de trabalho, é onde eu manipulo pernas, braços, corpo e boca dando vida a eles.
O fantoche resgata o lúdico e leva a criança ao mundo do faz de conta, estimulando a sua criatividade.Em uma das minhas apresentação com os fantoches, fui supreendida por um garotinho, que me procurou ao término. Estava guardando os fantoches no baú, quando vem a pergunta: _Você conhece ,o Juca? (fantoche)
_Sim porque?
_Diga a ele que gostei dele!
_Pode deixar , darei o recado.
_Obrigado moça.
Saiu despedindo-me com um beijinho no rosto.
Fantoches é uma ótima ferramenta para trabalhar,seja com criança, adolescentes ou adultos é uma estratégia educativa aonde todos se divertem.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Era uma vez....Dona Cidinha

Faz tanto tempo e me lembro detalhes do seu jeito, sua voz mansa, seu penteado e roupas....
A senhora ensinava na primeira série(ensino fundamental I) e eu era sua aluna. Lembro que na sala ouvia risada o tempo todo, muita alegria.De vez enquanto o silêncio quebrado por sua voz....era hora de contar histórias.Suspirando eu voava na imaginação... A sua sala era colorida com vários desenhos, painel, mapa do Brasil, alfabeto maísculo e minúsculo bailando em fios pendurados acima da lousa.Muito paciente em repetir, repetir, repetir sempre a mesma palavrinha para o aluno que não entendesse.Me chamava carinhosamente de Rutinha.
Quero dizer Dona Cidinha, que hoje depois de tanto tempo....também sou professora, e procuro resgatar na minha memória e trazer para dentro da sala de aula. Aquele riso, uma sala colorida, aonde os meus alunos , possam ter o prazer de estar na sala de aula, sem cobranças, chateações.Proporcionando aos meus alunos de viajarem muito além das imaginações ao ouvirem uma história.
Um abraço e um beijo com sabor de chocolate
Rute

Carta-crônica de Rute Beserra-homenageando Professora Maria Aparecida(Dona Cidinha)
A todos professores deixo aqui a minha homenagem nas palavras do educador
Paulo Freire "A certeza de que faz parte de sua tarefa docente não apenas ensinar conteúdos, mas também ensinar a pensar certo."

sábado, 3 de outubro de 2009

Histórias em Quadrinhos

Recebi um e-mail perguntando-me se histórias em quadrinhos eram válidos como livros ilustrados .
Segundo Nelly Novaes Coelho(Literatura Infantil), as histórias em quadrinhos são tão válidas quantos os livros de figuras como processo de leitura acessível ou adequado ás crianças pequenas.O interesse das crianças pelas histórias ou prazer que demonstram, ao ouvi-las ou lê-las, são sintomas de que tal ato, mais do que simplesmente diverti-las, satisfaz a uma necessidade interior instintiva:a necessidade do crescimento mental, inerente ao ser em desenvolvimento.(Tal como prazer da movimentação incessante dos jogos ou correrias sem finalidade aparente, tão naturais na infância, resulta da necessidade instintiva do crescimento orgânico.)
Da mesma forma, o interesse maior que os pequenos demosnstram pelos livros ilustrados ou,mais ainda, pelas histórias em quadrinhos, está na facilidade com que esse tipo de literatura'' fala" á mente infantil:ou melhor, atende diretamente á natureza ou as necessidades específica as da criança. Como acima, as imagens no livro infantil são essenciais no processo de comunicação mensagem/leitor, pois atingem direta e plenamente o pensamento intuitivo/sincrético/globalizador que é característico da infãncia.
Daí que o fascínio da meninada pelas histórias em quadrinhos não resulta apenas do fato de gostarem esse tipo literatura"facíl", mais porque essa literatura corresponde a um processo de comunicação que atende mais facilmente á sua própria predisposição psicológica.

Fonte:Nelly Novaes Coelho -Literatura Infantil(teoria, análise, didatica)
Design by Juliana Garcia