Literatura Infantil: Janeiro 2008

sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Plano de Aula

Plano de Aula

Disciplina:Lingua Portuguesa
Série:1º colegial
Nomes; Cicera Aparecida da Silva
Rute da Silva Beserra
Viviane Aparecida da Silva


Ementa:
Linguagem literária e não -literária;
Denotação e Conotação na linguagem;
Poesia e Versificação;
Gêneros Literários;lírico,épico e dramático;
Trovadorismo;
Humanismo/Classicismo;
Quinhetismo;
Barroco no Brasil:poesia de Gregório de Matos Guerra



Tema da aula;Barroco no Brasil de Gregório de Matos Guerra


Conteúdo:
Contexto Histórico da época;
Características do período;
Poeta em destaque na época: Gregório de Matos Guerra;
Estudo/Analise de poesia de Gregório de Matos Guerra;satírica,religiosa e lírica.


Justificativa:
Pelo fato de ser considerada de importância menor por muitos alunos, principalmente, os meninos que a considera como uma leitura feminina.
Desconhecendo sua rela importância para a sociedade da época.


Objetivo Geral:
Almeja que o aluno perceba a importância da poesia para literatura e valorize.


Objetivo específico:
Conhecer os diferentes gêneros da poesia(satírica, lírica e religiosa)daquela época;
Ensinar a criar um blog;
Trabalhar com a leitura
Dar oportunidade para os alunos que desconhecem o funcionamento do computador


Metodologia e Didática:
Aula expositiva;
Comentáris dos alunos ;
Produção de uma poesia(satírica,lírica,ou religiosa)em grupos;
Publicação de todas as poesias no blog da sala;
Declamar poesia no MP3
Salvar um CD as poesias declamadas pela sala;
Criar uma capa para o CD


Critérios da Avaliação;
.Participação da sala durante as aulas expositivas;
.Interação do grupo durante a atividade(produção da poesia).
.Empenho dos grupos na produção do CD



Bibliografia:
AMARAL, Emilia et al . Novas palavras:português , vol.Único. São Paulo:FTD,
2003.
MASSAUD, Moisés. A literatura brasileira através dos textos. São Paulo ;Cultrix,
1971.



Tema da aula; Barroco no Brasil; poesia de Gregório de Matos Guerra

Contexto histórico

O Barroco no Brasil corresponde à consolidação de uma aristocracia:

- a presença cada vez mais acentuada de comerciantes estrangeiros;
- as transformações sociais, econômicas e culturais, provocadas pelas invasões francesas e holandesas;
- o apogeu e o declínio da cana-de-açúcar no Nordeste;
- a ação dos bandeirantes e a descoberta do ouro, principalmente na região de Minas Gerais;

O Barroco no Brasil

Costuma-se dar como o marco inicial do Barroco no Brasil o ano de 1601 com a publicação do poema épica “Prosopopéia”, de Bento Teixeira Pinto, e o seu final, com a publicação de “Obras”, de Cláudio Manuel da Costa, em 1768.
A poesia barroca atravessou três fases no Brasil.
1ª fase: Influencia de Camões nos poetas brasileiros. Principal representante: Bento Teixeira.
2ª fase: Começa a surgir uma poesia com características brasileiras, mas ainda continua a influência camoniana e espanhola.
Destaca-se o grupo baiano representado por Gregório de Matos Guerra, Eusébio de Matos, domingos Barbosa, etc.
3ª fase: Caracteriza-se pelo exagero e pelo aparecimento das academias literárias: Academia Brasílica dos Esquecidos, Academia dos Nobres, Academia dos Seletos, etc.

Pertencem a essa fase Manuel Botelho de Oliveira, Frei Manuel de Santa Maria Itaparica, etc.

VIDA E OBRA DE GREGÓRIO DE MATOS


Gregório de Matos (1636? a 1696)

O maior poeta barroco em Língua Portuguesa foi o baiano Gregório de Matos e Guerra – primeiro grande escritor brasileiro. Sua obra oscila do sublime ao grotesco e seu estilo combina gongorismo e conceptismo. Alguns de seus poemas são imitações de Góngora, outros são inspirados em Quevedo. Muitos são originalíssimos, na descrição bem humorada da terra brasileira, no deboche a política baiana, no uso do vocabulário indígena.Há dúvidas tanto sobre sua vida quanto sobre a real autoria de muitos poemas a ele atribuídos.


Podemos dizer como fez o escritor James Amado, que a poesia de Gregório de Matos que chegou aos nossos dias não é a obra de um homem, mas a poesia da época chamada ¨Gregório de Matos¨.

História incerta:

Há dúvidas, mas ao que parece Gregório de Matos teria nascido de família abastada em Salvador, provavelmente em 1636. Em 1651 foi para Portugal e ingressou no ano seguinte na Universidade de Coimbra, formando-se em 1661, casa-se com Micaela de Andrade e ocupa vários cargos na magistratura Portuguesa. Fica viúvo em 1678 e retorna ao Brasil em 1681. E Salvador leva uma vida desregrada, improvisando poemas acompanhando viola e satirizando os poderosos. Casa-se com Maria dos Povos e é banido, talvez em 1694, para Angola.Um ano depois volta para o Brasil, mas é impedido de regressar para Salvador, vai para o Recife onde morre em 1696.

Preservação da obra:

Gregório de Matos jamais publicou um poema em vida.Sua obra só começou a ser publicada em 1831 e só foi integralmente, ainda que com certo descuido, por James Amado em 1968. Espalhados em diversos códices, seus poemas sobreviveram graças a memória coletiva de seus admiradores baianos, que o registraram com inúmeras incorreções e prováveis alterações.

Divisão da obra:

A imensa produção de Gregório de Matos já foi classificada de diversas maneiras.Podemos dividi-la em dois grandes blocos: poesia de Circunstancia, pela qual recebeu o epíteto de ¨O boca do inferno¨ ,e poesia Lírica.
A poesia de circunstância dividi-se em:
· Sátira social e política, e poesia Erótico-irônica.Ali se enquadram os versos compostos contra os governantes da Bahia; entre os Erótico-irônicos, as composições fesceninas , pornográficas.
· Poesia Encomiástica, que reúne os textos elogiosos de Gregório de Matos a personalidades do seu tempo.Espírito aguçadamente barroco, Gregório não deixa de cortejar e ao mesmo tempo fustigar os poderosos.

A poesia Lírica divide-se em:

Amorosa, Religiosa e Reflexiva.Versa sobre a vaidade e a brevidade da vida.
Outros temas não sensíveis ao estilo barroco, não relacionados diretamente ao amor e religião.

fonte: Help Sistema de consulta interativa – técnicas de redação e literatura.

O MUNDO DAS FADAS

Tomei conhecimento sobre um projeto da Biblioteca Hans Christian Andersen que fica no bairro de Tatuapé(Av.Celso Garcia 4.142- tel -2295-3477)

Que é um projeto temático de contos de fadas, que faz parte da política e da requalificação de bibliotecas públicas e municipais. O nome Hans Christian Andersen é homenagem ao escritor dinarmarquês, autor de "O Soldadinho de Chumbo e o Patinho Feio entre outros contos mais ou menos conhecidos.

A adaptação da biblioteca começou com a criação de Centro deFormação para Contadores de História, um castelo "encantado foi montado para proteger os livros , entre outras atividades.
Vale a pena conferir
Design by Juliana Garcia